Micose dos pés: o que é, formas clínicas e tratamento

A micose dos pés, tinha dos pés, também conhecida como frieira ou pé de atleta é considerada a micose mais comum no mundo.

Pode-se dizer que 70% da população apresentará micose nos pés em algum momento da vida.

Normalmente apresenta-se mais no sexo masculino, independente de grupo racial ou étnico.

Além disto, podemos dizer que a prevalência da tinha dos pés aumenta com a idade, sendo a maioria dos casos após a puberdade e raramente afeta a população infantil.

A tinha dos pés não está associada com mortalidade ou morbidade significativas, embora seu prognóstico possa ser afetado quando condições de imunodepressão e diabetes estão associadas.

Como a tinha dos pés causa muito incômodo, quanto antes diagnosticar seu problema mais rápido será o tratamento e o fim do desconforto.

Este artigo lhe ajudará a entender este problema e como tratá-lo. Falaremos sobre:

1. O que é a micose dos pés?
2. Formas clínicas de micoses dos pés: intertriginosa ou pé de atleta, vesiculosa, escamosa e  ulcerada
3. Diagnóstico da micose dos pés
4. Tratamento da micose dos pés
5. Hábitos saudáveis e prevenção da micose dos pés

Caso queira saber mais sobre micoses, pode ler também o artigo sobre micoses de unhas: Como saber se estou com micose de unha

1 O que é micose dos pés?

A micose dos pés ou tinha dos pés é a infecção fúngica das solas e dos espaços entre os dedos (espaços interdigitais) dos pés.

É causada por fungos chamados dermatófitos, que são capazes de usar a queratina como fonte de alimento. A queratina é uma proteína que está presente na pele, cabelos e unhas.

Os fungos proliferam-se com maior facilidade em locais quentes e úmidos e em organismos com imunidade reduzida.

A micose dos pés é mais frequente em atletas (especialmente nadadores), soldados, marinheiros e estudantes, onde a sudorese, maceração, marchas prolongadas, sapatos apertados e má higiene facilitam a infecção fúngica.

A infecção pode afetar um ou ambos os pés e pode se espalhar para as unhas, que ficam grossas e quebradiças. Saiba mais sobre micoses de unha no artigo: Como saber se estou com micose de unha

A micose dos pés é contagiosa e pode ser transmitida pelo contato com pessoa infectada ou por contato com superfícies contaminadas como: toalhas, pisos e calçados.

Os espaços entre os dedos dos pés são as regiões onde mais frequentemente os fungos se instalam e iniciam o processo de infecção.

2 Formas clínicas de micoses dos pés

Clinicamente, a micose dos pés pode se apresentar de quatro formas:

a) Forma Intertriginosa ou Pé de Atleta

A forma intertriginosa é a mais comum de micose nos pés. Tem esse nome por porque ocorre em regiões de dobra de pele, como os espaços entre os dedos, que propiciam atrito mais frequente e são regiões quentes e úmidas.

O local fica avermelhado (com eritema), apresentando maceração, fissura e descamação, ocorrendo mais frequentemente no espaço entre o quarto e quinto dedos.

Esta forma em geral, é acompanhada de coceira, observando-se ainda, um odor fétido exalado do local da infecção.

 

 

b) Forma Vesiculosa

A forma vesiculosa é uma forma aguda da micose dos pés, apresenta-se com vesículas e bolhas que causam coceira e irritação, além disto, são dolorosas.

Normalmente aparecem na região plantar e eliminam líquido amarelado (citrino), quando perfuradas, dando lugar a uma descamação persistente.

Habitualmente é acompanhada de infecção bacteriana associada.

 

 

 

c) Forma hiperceratósica ou escamosa

A forma escamosa da micose dos pés é crônica e caracteriza-se por lesões descamativas com pele grossa (hiperceratose) e nos quadros mais intensos, fissuras dolorosas.

Frequentemente localizadas em ambos os pés, nas regiões plantares ou ainda nas bordas laterais.

 

 

 

 

 

d) Forma ulcerada

A forma ulcerada está associada à rápida disseminação de bolhas com líquido dentro e feridas (lesões vesiculo-pustulosas, úlceras e erosões).

Essa forma é frequentemente associada à infecção bacteriana secundária, geralmente em pacientes imunodeprimidos e diabéticos.

 

 

 

3. Diagnóstico da micose dos pés

Antes de iniciar qualquer tratamento, é fundamental identificar a causa do problema para indicar o tratamento adequado para você.

O diagnóstico da micose dos pés é geralmente baseado nos sintomas do paciente e na aparência clínica. No entanto, existem outras dermatoses parecidas clinicamente com micoses nos pés, como: dermatites de contato, alergias, psoríase, entre outras.

Portanto, torna-se necessário um exame micológico, que consta de uma raspagem das escamas plantares e interdigitais infectadas, para a realização do exame microscópico direto e para a cultura, que vai identificar o fungo responsável e a medicação específica para combatê-lo.

Um diagnóstico correto tornará o tratamento mais assertivo, podendo ter seu problema solucionado com maior rapidez e eficiência.

4. Tratamento da micose dos pés

A micose dos pés pode ser tratada com antifúngicos tópicos ou orais ou uma combinação de ambos. Somente um médico pode receitar a medicação mais indicada para o seu caso, bem como a dosagem correta e a duração do tratamento.

Em geral, os pacientes com micoses interdigitais (pé de atleta ou frieiras) podem ser tratados com um antifúngico tópico. Quando essa medicação não surte o efeito desejado, deverá ser trocada pelo médico, para uma de uso oral.

Pacientes com micose da forma vesiculosa, ulcerada ou tinha do pé persistente, podem necessitar de tratamento antifúngico por via oral.

Se você apresentar lesões nos pés que não melhoram dentro de algumas semanas, consulte um médico, principalmente se for diabético.

5 Hábitos saudáveis e prevenção da micose dos pés

Leia algumas dicas para combater a micose dos pés:

a) Evite andar descalço. Use chinelos ou sandálias em banheiros públicos e lava-pés de piscinas.

b) Mantenha os pés limpos e secos. Deve-se ter cuidado em enxugar bem os pés, principalmente entre os dedos.

c) Uso de meias de algodão limpas é importante para diminuir a umidade dos pés. Trocá-las diariamente.

d) Evite usar o mesmo sapato diariamente, coloque-os no sol e/ou trate com pós antifúngicos antes de usá-los novamente.

e) Dê preferência a sapatos abertos, o ambiente quente e úmido do sapato fechado é ideal para proliferação dos fungos.

Além da medicação é importante seguir as orientações sobre os hábitos saudáveis e prevenção, a fim de evitar a reinfecção da micose ou a criação de ambientes favoráveis à proliferação dos fungos.

Portanto, acabe com o incômodo causado pela micose dos pés, seguindo nossas dicas e se os sintomas persistirem procure um médico, faça o exame micológico e saiba exatamente o que precisa combater para solucionar seu problema.

Compartilhe

Facebook
LinkedIn
Whatsapp