Pés de idosos: cuidados que deve ter no atendimento ao idoso

O Brasil tem hoje 26 milhões de pessoas acima dos 60 anos, e esse número não para de crescer. Em 2007 elas eram 17 milhões e em 2027 essa parcela da população dobrará, chegando aos 37 milhões, de acordo com projeções do IBGE. Esses dados foram divulgados pelo IBGE 2017.

Uma das maiores conquistas da humanidade foi a extensão da expectativa de vida, que foi acompanhada por uma melhoria substancial nos parâmetros de saúde das populações, embora essas conquistas estejam longe de serem distribuídas de forma eqüitativa em diferentes países e em diferentes contextos socioeconômicos. Atingir a velhice, que já foi privilégio de poucos, hoje é padrão até mesmo nos países mais pobres. Essa grande conquista do século XX, no entanto, tornou-se o maior desafio de hoje.

O envelhecimento de toda a população não é suficiente. Viver mais é importante, desde que você possa adicionar qualidade aos anos adicionais de vida. Esse fenômeno de prolongamento da expectativa de vida ocorreu inicialmente nos países desenvolvidos, mas mais recentemente é nos países em desenvolvimento que o envelhecimento da população ocorreu de forma mais acentuada.

Segundo Dr. Alexandre Kalache, médico brasileiro autoridade internacional em envelhecimento e longevidade, o envelhecimento saudável se sustenta em três pilares:

  1. Qualidade dos relacionamentos interpessoais;
  2. Saúde;
  3. Reserva financeira.

Quero falar sobre o item saúde. Mais precisamente sobre a saúde dos pés: ela é importantíssima para o bem estar do idoso.

Isso porque os pés sustentam o corpo, permitindo um maior grau de independência. Esse é frequentemente apontado como um dos principais fatores para a qualidade de vida na terceira idade.

Então, se você quer saber mais sobre Podologia e como o cliente idoso pode se preparar, contribuindo assim para um melhor atendimento por parte dos profissionais, está no lugar certo.

Além disso, você também encontra as maneiras como eu, Podóloga, procuro tornar as sessões mais agradáveis para esses clientes. Vamos lá?

O que é podologia e como ela pode ajudar idosos?

A Podologia atua na prevenção de problemas, sua correção e na manutenção da saúde dos pés. Isso é muito importante para todas as pessoas, mas é especialmente necessário na terceira idade.

É muito comum que idosos sintam dores nos pés e nas unhas dos pés. No entanto, isso não é normal: a dor é sinal de algum problema e um profissional pode ajudar a solucioná-lo.

Lembre-se: seus pés merecem toda a atenção e a saúde deles é um ponto importante para a qualidade de vida do idoso.

Isso porque influenciam diretamente na independência, fator importante tanto para o bem estar quanto para a qualidade dos relacionamentos.

Quando o foco é o idoso, as sessões com o profissional podem requerer um preparo mais detalhado, tanto por parte do cliente como do profissional.

O cliente idoso possui algumas necessidades específicas, assim como algumas limitações que exigem atenção.

A seguir, conheça melhor essa preparação.

Com relação ao cliente

O cliente deve dispor de 90 minutos para o primeiro atendimento. Para atendimentos posteriores, planeja-se algo em torno da metade deste tempo.

O tempo maior para a primeira consulta se deve a necessidade de realizar uma avaliação a fim de identificar os maiores problemas e o que precisa ser feito.

É importante esvaziar a bexiga e o intestino antes de iniciar o trabalho, sempre que possível.

Antes do atendimento é necessário preparar uma lista com os medicamentos dos quais faz uso, suas prescrições e indicações. Também lembre-se de levar a medicação, caso seja necessário fazer uso durante o procedimento.

Se o cliente é portador de Diabetes Mellitus, é fundamental assegurar que o atendimento seja realizado dentro do intervalo de 3 horas de alimentação.

Quanto às vestimentas, procure possibilitar que o profissional tenha acesso visual até a altura dos joelhos. Ou seja, use calças compridas com pernas largas o suficiente para serem dobradas. Isso ajuda a garantir uma avaliação mais fácil e completa.

Caso tenha alguma necessidade especial, lembre-se de assegurar que esta seja informada ao Podólogo antes do atendimento. Assim, o profissional pode se preparar e adequar o espaço quando seja necessário.

Em caso de atendimento domiciliar ou home care, entre outras providências, é importante que o local onde será realizado o serviço disponha de boa iluminação e tomada nas proximidades. Além disso, reserve uma cadeira confortável para o cliente.

Com relação ao profissional

O profissional podólogo que irá atender um cliente idoso também precisa de preparações específicas.

Por exemplo, dispor de dois horários para um primeiro atendimento, garantindo que o processo seja realizado com tranquilidade e tempo suficientes para a avaliação.

Confira algumas outras medidas que o profissional deve tomar:

  • Quando possível, buscar informações antes do atendimento sobre as condições de comunicação, saúde e mobilidade do cliente;
  • Adaptar o protocolo de procedimentos para instrumental e produtos que sejam eficientes e evitem provocar dor;
  • Solicitar o apoio de um familiar ou do cuidador, sempre que a comunicação direta com o cliente não for possível ou dificultada por motivo de, por exemplo, o Mal de Alzheimer;
  • Sugerir um copo de água e o uso do banheiro antes e no final do atendimento;
  • Entregar as recomendações básicas para a saúde dos pés, por escrito, para o cliente ou em sendo o caso, para seu acompanhante.

Em meus atendimentos, adiciono ao repertório uma série de cuidados. Entre estes, acredito que prestar atenção aos sinais dados pelo cliente, como expressões faciais e outros movimentos corporais sejam pontos importantes. Nem todo idoso consegue expressar desconforto verbalmente.

Para tornar o ambiente de atendimento mais agradável aposto em música tranquila de fundo durante meu trabalho, oferecendo aos clientes a oportunidade de relaxar, enquanto cumpro minha missão.

Segundo a geriatra e gerontóloga Dra Ana Claudia Quintana Arantes, é muito difícil identificar quando o cliente portador de demência está em contato com a realidade. Portanto, devemos tomar extremo cuidado com as palavras.

Caso o profissional seja convidado a conversar com o cliente, toda atenção é pouca quando o assunto é o tom de voz. Sensibilidade é uma das características marcantes para essa cliente.

Portanto expressar carinho no diálogo tem efeitos muito positivos durante o atendimento.

“Gerontolescência significa estar pelo mundo, ativo, criando uma nova construção que é envelhecer” – Dr Alexandre Kalache.

Compartilhe

Facebook
LinkedIn
Whatsapp