Por que idosos e diabéticos têm mais micoses e são mais difíceis de tratar?

Por que idosos e diabéticos têm mais micoses e são mais difíceis de tratar?

Você sabia que a micose de unha em idosos e diabéticos é mais comum ?

A micose de unha em idosos e diabéticos é frequente. Entenda melhor neste artigo.

A micose de unha é considerada uma infecção extremamente comum. Isso porque os idosos e diabéticos possuem imunidade reduzida – o que o torna fácil de pegar e difícil de se livrar.

Nesse outro artigo, já havíamos mencionado que pessoas que possuem pés diabéticos se encontram em um grupo de risco. Mas porque isso acontece? Leia mais sobre pés diabéticos na matéria: Pé diabético- O que é, sintomas e prevenção.

À seguir, você encontra todas as respostas que precisa sobre micose de unha! confira:

O que é micose de unha?

Trata-se de uma infecção nas unhas, causada por um fungo que se aloja entre as unhas e a pele. O fungo alimenta-se de células mortas.

As unhas afetadas pelo fungo apresentam:

  • Espessamento;
  • Fragilidade;
  • Distorções no formato;
  • Perda do brilho;
  • Escurecimento;
  • Descolamento.

O que faz com que a micose de unha em idosos e diabéticos seja mais frequente?

É verdade, este é um problema bastante comum para todos. No entanto, a micose de unha em idosos e diabéticos costuma ser muito mais frequente.

Isso não acontece por acaso. Existem muitos fatores que contribuem para essa estatística.

O primeiro, e talvez mais significativo, é que idosos e diabéticos normalmente possuem imunidade reduzida quando comparados com outros grupos da população. E esse é um grande fator de risco para a micose de unhas.

Quando o sistema imunológico está funcionando bem, o corpo consegue combater o fungo que se aloja abaixo da unha com maior facilidade.

Além da questão do enfraquecimento da imunidade com o passar dos anos ou em consequência da diabetes, devemos considerar outro fator: o tratamento da micose de unha requer bastante atenção aos hábitos e a higienização minuciosa dos pés.

É comum que problemas de mobilidade impeçam que idosos dediquem todos os cuidados necessários aos pés e sapatos.

Por que a micose de unha em idosos e diabéticos é tão difícil de curar?

Um grande número de pessoas acometidas pela micose de unha, infelizmente, não busca tratamento ou orientação médica. Seja por vergonha, por falta de informação sobre o problema e possíveis tratamentos ou por que o incômodo é estético, normalmente não sentem nenhum tipo de dor.

Muitas vezes, isso faz com que os cuidados adequados não sejam feitos, pois o paciente não sabe o que deve evitar e o que deve fazer.

Mesmo aqueles que procuram ajuda médica podem lidar com dificuldades nos tratamentos para a micose de unha. Isso porque, em algumas pessoas, os fungos desenvolvem resistência aos medicamentos devido a muitos tratamentos feitos com remédios.

Para curar a micose de unha de vez, não adianta só tomar remédio! É preciso mudar alguns hábitos inadequados e desenvolver uma rotina saudável de cuidados e manutenção do tratamento.

Veja alguns exemplos do que pode ser feito para ajudar no tratamento da micose de unha em idosos e diabéticos:

  • Cortadores de unhas, alicates, lixas e esmaltes utilizadas pela pessoa contaminada devem ser esterilizados em autoclave ou descartados. Isso evita que os fungos que estão nestes itens (e sobrevivem por muito tempo!) contaminem novamente a pessoa. E atenção: só passar álcool não é o suficiente para matar os fungos.
  • Os sapatos utilizados devem ser higienizados após cada uso. É recomendado utilizar Lysoform spray e depois deixá-los no sol.
  • O uso do mesmo sapato por mais de um dia seguido deve sempre ser evitado. É o mesmo problema que existe com as ferramentas para manicure: o fungo continua contaminando o paciente.
  • Os esmaltes não deixam a unha respirar, podendo prejudicar o tratamento. Dessa forma, devem ser evitados.
  • Após muitos tratamentos com remédios, é possível que o fungo se torne resistente às substâncias utilizadas.
  • É recomendado a remoção da unha afetada, ou seja, descartar toda a unha que esteja descolada. Muitas pessoas hesitam em adotar esta opção por razões estéticas. No entanto, o melhor jeito de curar o fungo é removê-lo o máximo possível.

Orientações para prevenir a micose de unha em idosos e diabéticos

Evitar contrair o fungo em primeiro lugar pode ser muito mais fácil do que se livrar dele depois do contágio. Essas dicas também ajudam na eficácia do tratamento recomendado pelo seu podólogo. Por isso, sempre siga as seguintes orientações:

  • Seque os pés com papel toalha ou secador de cabelo frio para garantir que toda a umidade seja eliminada;
  • Use meias de algodão – evite as meias sociais, se possível;
  • Dê preferência a sandálias abertas sempre que possível;
  • Higienize seus sapatos com lysoform spray e deixe-os no sol após cada uso;
  • Evite o uso do mesmo sapato todos os dias;
  • Evite andar descalço em vestiários e chuveiros.

Consulte um médico e siga as orientações com cuidado

Uma das coisas mais importantes para garantir o tratamento adequado da micose de unha em idosos e diabéticos é a identificação do fungo, isso porque existem tipos diferentes de fungos que podem causar a micose de unha, e a identificação deles é essencial para um tratamento eficiente.

O Podólogo pode fazer a coleta para o exame micológico. Após o diagnóstico correto da micose de unha, irá preparar um plano de tratamento. Geralmente, eles envolvem acompanhamento mensal para o corte adequado da unha e remoção do acúmulo de células mortas, que alimentam o fungo. Além de tratamentos tópicos utilizando a Ozonioterapia e Laserterapia.

Precisa agendar uma consulta ou ficou com alguma dúvida? Entre em contato conosco e ficaremos felizes em ajudar!

Compartilhe

Facebook
LinkedIn
Whatsapp