Tratamento de calos e calosidades: saiba como tirar calos nos pés

Calos e calosidades nos pés são problemas comuns, mas que causam muito incômodo para os pacientes. Além da questão estética, os calos podem também causar dores e bastante desconforto.

É possível retirar os calos através de diferentes métodos. Alguns exemplos são banhos mornos seguidos de esfoliação com pedra pomes, calicidas, produtos com ação esfoliante indicados para remover calos, que contêm Ácido Salicílico, Ácido lático ou Ureia em sua composição.

No entanto, não adianta remover os calos e calosidades sem tratar a origem do problema. Por isso, é essencial que você leia este texto até o final e entenda melhor por que esses problemas estão acontecendo.

Os calos nada mais são do que uma resposta de defesa do seu corpo. Devido ao atrito constante em algumas áreas do pé, a pele se torna mais grossa como uma espécie de proteção.

Neste artigo, vamos falar mais sobre os calos e calosidades, principalmente sobre como você pode tratar esse problema.

Se você:

  • Tem calos e calosidades nos pés ou conhece alguém que tem;
  • Sente dores nos pés e nas áreas com calosidades…

Esse artigo é para você! Continue lendo para aprender sobre o assunto e tirar suas dúvidas sobre os tratamentos disponíveis:

O que são calos e calosidades e por que aparecem?

Os calos são uma resposta do seu corpo à “agressão” que a pele dos pés sofre diariamente. Ou seja, qualquer pessoa pode desenvolver calos nos pés.

Muitas pessoas confundem os calos com o “olho de peixe” ou verrugas. Vamos começar esclarecendo melhor essa dúvida: as calosidades são muito diferentes desses outros problemas.

Enquanto os calos são uma reação de defesa ao atrito que seu pé sofre diariamente, a verruga (olho de peixe) é causada por um vírus que se instala na pele.

Calosidades podem aparecer por diversos motivos. Existem fatores internos e externos que colocam seus pés sob estresse, ocasionando o problema. Vamos entender melhor:

Os calos por causa adquirida, ou seja, causados por fatores externos, são aqueles que aparecem devido ao uso de calçados novos ou inadequados. Alguns vilões comuns são as botas com bico de ferro e os sapatos com bico fino.

Outro fator que comumente leva à formação de calos são problemas no caminhar, como pisada torta.

Já os de causas internas são normalmente gerados por problemas de saúde como artrose, osteoporose, problemas na coluna, que podem ocasionar problemas na marcha, pisada torta.

Um exemplo disso é a artrose, que modifica a estrutura dos dedos e tira o alinhamento normal do caminhar.

Problemas na articulação também podem ser um fator para o aparecimento de calos. Eles normalmente serão aqueles que aparecem em cima dos pés, conhecidos como coxim.

Nestes casos a escolha do sapato adequado é fundamental, pois os sapatos são estruturas que pode ser utilizadas para melhorar os problemas de alinhamento do corpo, pisada torta ou problemas de marcha.

Calos são diferentes de calosidades?

Sim. Os calos são pequenos pontos, normalmente circulares e regulares que aparecem nos pés. Já as calosidades afetam uma área maior.

Ou seja, as calosidades são como placas de pele mais grossa que podem cobrir grandes áreas dos pés.

Quais são os tipos de calos?

Todos os calos são desenvolvidos devido a algum tipo de estresse ou atrito nos pés. Mas como existem inúmeras possíveis causas para essas agressões, os tipos de calos são variados.

Podemos classificar os calos e calosidades em três principais tipos:

  1. Calos Plantares;
  2. Calos Dorsais;
  3. Calos Interdigitais.

A seguir, vamos aprender mais sobre cada um deles:

Calos Plantares

Os calos plantares, como o nome sugere, aparecem na planta dos pés. Eles apresentam um anel de queratose bastante característico ao seu redor. Eles podem ser doloridos ou apenas causar algum incômodo para o paciente.

 

A boa notícia é que eles são de fácil remoção. Além disso, não costumam reaparecer, desde que o fator estressor seja retirado também.

Por exemplo, se o podólogo identificar que a causa do calo foi o uso de um calçado inadequado, esse par deve ser aposentado.

As calosidades também são comuns na planta dos pés, podendo também ser causadas por problemas na marcha.

Calos Dorsais

Os calos dorsais ficam localizados na parte de cima do pé. Eles costumam doer e incomodar bastante, visto que atrapalham para colocar calçados e no caminhar.

Os calos dorsais podem apresentar o anel de queratose (sendo mais espessos), como podem ser do tipo “coxim”. Esse segundo pode deixar uma marca permanente nos pés, já que ainda não existem procedimentos de intervenção estética.

Apesar disso, ambos os tipos de calos dorsais podem – e devem – ser tratados com o seu podólogo.

Calos Interdigitais

Os calos interdigitais aparecem devido ao atrito entre os dedos dos pés. Eles normalmente possuem um núcleo (área espessa, queratinizada, dura e amarelada) e são extremamente dolorosos. Isso porque esse núcleo é profundo, entrando em contato com uma área cheia de terminações nervosas.

 

Por sorte, existem tratamentos para este tipo de calo.

Atenção: devido ao grande incômodo que causam, os calos interdigitais são os que mais pacientes tentam remover em casa. Isso, no entanto, só piora a situação, podendo causar infecções e inúmeros outros problemas.

Por isso, sempre consulte um podólogo e não retire calos ou calosidades em casa, em especial utilizando objetos cortantes.

Qual é o tratamento para calos e calosidades?

Mesmo existindo diferentes tipos de calos e calosidades, os tratamentos são muito parecidos ou, em sua maioria, o mesmo. O processo tem três etapas:

  1. Remover o calo ou calosidade;
  2. Retirar o núcleo (se houver um);
  3. Retirar o fator estressor.

Como você pode imaginar, sem identificar e remover o fator estressor (o motivo do aparecimento do calo), não adianta fazer a remoção. O calo ou calosidade continuará aparecendo.

 

Lixar os calos e calosidades agressivamente utilizando lixas grossas não é recomendado. Isso pode ocasionar o efeito rebote. Ou seja, o organismo entende que é mais uma agressão e irá criar ainda mais calos e calosidades.

 

Também é comum encontrar pessoas que possuem o hábito de cortar o calo com objetos cortantes como lâmina, alicate de cutículas ou tesoura. Isso é desaconselhado. Além de uma agressão ainda mais intensa, você ainda corre o risco de provocar cortes e feridas que podem inflamar.

 

Quando a remoção com pedra pomes após um banho morno não é suficiente, é recomendado consultar o Podólogo. Esse profissional irá avaliar a situação e proceder à extração do calo ou calosidade.

 

Os produtos indicados para remover calos são realmente eficientes. No entanto, você deve ter em mente que eles normalmente contém ácido em sua composição. Dessa forma, não é recomendado utilizá-los em casa. O ideal é que um podólogo o oriente sobre o melhor produto e realize todo o procedimento em consultório.

 

Esses medicamentos agem rompendo as camadas de pele grossa e hidratando a pele seca e áspera destas regiões, o que facilita a remoção.

 

A novidade nos consultórios é o uso do PodoSafe. É um emoliente de calosidades instantâneo, que não possui ácido, trata e minimiza calos e calosidades com suavidade. Eliminando ou reduzindo a necessidade de utilizar materiais perfuro cortantes. Assista o vídeo.

 

O melhor remédio, em todos os casos, ainda é a prevenção: retirar a causa do problema e fazer sempre a hidratação dos pés.

 

Por isso é fundamental fazer uma avaliação completa com um podólogo. Esse profissional está preparado para fazer muito mais do que lixar as calosidades e retirar os núcleos: te ajudará a entender e eliminar esse problema de verdade!

 

Tratamento no caso de deformidade nos dedos: funciona?

Cada paciente é diferente, e é importante fazer uma avaliação individual. Afinal, os gatilhos para o aparecimento deste problema são extremamente variados. Muitas vezes, a deformidades nos dedos é justamente o que está causando o atrito.

 

No entanto, de maneira geral, podemos dizer que o tratamento funciona sim!

 

Marque uma avaliação hoje mesmo para que possamos determinar o melhor tratamento para o seu caso.

Calos e calosidades: você não precisa conviver com a dor

É comum encontrar pacientes que acreditam que os calos ou calosidades não têm jeito. É verdade que quando você os retira, eles continuam voltando.

 

No entanto, isso só acontece por que o tratamento não está sendo completo: é preciso identificar a causa da formação dos calos e corrigí-la.

 

Então, marque uma consulta conosco! E se você conhece alguém que sofre com calos e calosidades, compartilhe esse artigo. Calos e calosidades tem tratamento, e você não precisa “aprender a conviver com a dor”.

Compartilhe

Facebook
LinkedIn
Whatsapp