Conheça os tratamentos e saiba o que fazer com uma unha encravada

unha encravada

Os pés são a nossa principal ferramenta para podermos nos locomover. Logo, sua saúde é essencial para podermos ter uma boa qualidade de vida.

Você sabia que uma das principais enfermidades nos pés é a unha encravada?

A unha encravada incomoda (e muito!) os pés, por isto procuramos rápido um tratamento para poder curá-la logo. É essencial saber o que fazer para poder reverter um quadro de unha encravada.

As causas mais frequentes da unha encravada são o corte errado das unhas e os calçados inadequados, que leva sua unha a se curvar e “cravar” na pele, por isso o nome: unha encravada.

A unha encravada além de causar dor pode apresentar inflamação, que é a reação do organismo contra a agressão da unha machucando a pele e infeccionando, caso tenha contato com alguma bactéria.

Veja a seguir tudo sobre unha encravada, suas causas, como identificar, os tratamentos indicados e se ela realmente tem cura.

O que é unha encravada

O estado clínico da unha encravada no pé é conhecido como Onicocriptose e consiste no crescimento das bordas da unha que encravam na pele machucando seu dedo. Pode haver dor, vermelhidão, inchaço e até pus ao redor da unha.

A região onde a unha começa a encravar fica vermelha e dolorida. Existe unha que é curvada e fica visível a olho nu, mas tem outras que ficam por baixo da pele, onde esse contato com a borda da unha pode começar a ficar inchado.

Quais são as causas da unha encravada?

Veja a seguir quais são as principais causas da unha encravada:

  • Sapatos inadequados, quando muito apertado, pode pressionar excessivamente os dedos, empurrando a unha e pressionando as laterais que machucam a pele do seu dedo;
  • No caso de sapatos folgados demais, também temos um problema, pois os pés deslizam dentro dele, casando atrito que pode alterar o formato das unhas;
  • Unha cortada de forma errada, muito curta ou com as bordas muito arredondadas;
  • Patologias que causam deformações ou lesões como a artrose por exemplo, podem mudar o curso da unha;
  • Unhas muito grossas ou muito finas;
  • Problemas na forma de andar, o caminhar faz pressão nas unhas e pode encravar;
  • Joanetes também são causas comuns para encravar as unhas.

Como identificar se sua unha está encravada?

O próprio paciente pode identificar uma unha encravada, normalmente quando a unha apresenta vermelhidão, dor e inchaço é hora de procurar o auxílio de um podólogo para fazer o tratamento.

O podólogo tem formação e experiência no tratamento de unhas encravadas, não espere a situação ficar com um grau de inflamação e infecção grave, como aquelas unhas com granulomas (carne que fica pra fora da unha).

Caso seja necessário um encaminhamento médico, o podólogo irá te direcionar ao profissional de saúde responsável para seu tratamento. Em geral são indicados os dermatologistas & ortopedista,

Caso tenha pé diabético ou má circulação sanguínea, seu pé deve ser tratado por um especialista em pé diabético.

Neste caso procure imediatamente um profissional para não agravar mais seu problema.

Conheça os tratamentos indicados para tratar a unha encravada

Caso você não consiga evitar que suas unhas encravem e o quadro fica constantemente se repetindo é indicado procurar um podólogo.

Para o tratamento de unha encravada, o podólogo é um dos especialistas nos cuidados com os pés que possui conhecimento técnico, material adequado e experiência para desencravar sua unha da forma menos dolorosa e correta.

Além de desencravar, poderá orientá-lo e fazer tratamentos que resolvam a causa do problema e não somente os sintomas.

Conheça alguns tratamentos utilizados para resolverem a causa da unha encravada: órteses, bandagens e anteparos.

1. Órtese Acrílica, Metálica ou Elástica

Um dos tratamentos indicados para o tratamento de correção de unha encravada é a órtese.

A órtese é utilizada para controlar o crescimento da unha, atuando como uma alavanca que força a unha no sentido correto, levantando as laterais, corrigindo a curvatura, fazendo com que ela deslize, favorecendo seu crescimento e evitando o contato com a pele.

Existem três modelos de órteses: Fibra Acrílica, Metálica e a Elástica. O mecanismo de ação é similar ao aparelho de dentista e o objetivo é levantar as laterais, são aplicados nas unhas e fixados em dois pontos das unhas a serem analisados, pois depende do lugar que se quer soltar.

O processo é indolor e o tratamento depende muito da curvatura de cada unha. Não podemos definir exatamente o tempo de tratamento, em média varia de 3 até 12 meses.

Inicialmente as manutenções ocorrem a cada 15 dias, depois vão espaçando de acordo com a evolução do tratamento.

O sucesso no tratamento depende do paciente, pois deve seguir as orientações do podólogo, fazer as manutenções periodicamente e finalizar o tratamento para resolver a causa do problema.

Além disto, adotar hábitos de cuidados e prevenção como corte de unhas correta, uso de sapatos adequados, postura e higienização correta são essenciais para solução do problema.

2. Bandagens

Elas vieram como uma alternativa para quem não gosta da “estética das unhas” com a órtese, ou tem a unha muito fina para colocar a órtese. A bandagem é uma opção que funciona super bem, com resultados comprovados.

A teoria dela é alargar um pouco mais as laterais, para que a unha não encontre barreiras ao subir.

Mas atenção, não podem ser aplicadas em casa, podem parecer fácil, mas é levado em conta várias vertentes, como posicionamento do dedo, a marcha, sapatos que você usa, sua biomecânica em geral.

Caso esses cuidados não sejam considerados por um especialista, pode agravar o quadro ao invés de melhorar.

3. Anteparos

Quando você for ao podólogo e ele considerar que aquela unha é um problema de corte ou que o motivo da dor é do posicionamento no leito, ele pode usar em você um anteparo.

Anteparo são aqueles pedacinhos de algodão que deve ser trocado todos os dias e colocados na posição indicada pelo podólogo.

Você precisa ficar atento a forma de colocá-lo pois não poderá levantar as unhas, para não correr o risco de descolar a unha da pele.

Caso a instrução não tenha sido clara ou você não se lembre ao chegar em casa, entre em contato com o profissional, para receber novamente as informações.

O mecanismo do algodão é deixar com que a unha deslize e cresça sem obstáculos também.

Quando nada funciona, ou o podólogo percebe que será necessária uma intervenção maior, ele poderá indicar um médico para tratar sua unha.

Existem alguns tratamentos cirúrgicos para unha encravada, depois de se esgotar as possibilidades, pois requer repouso a cirurgia.

Veja abaixo as condutas médicas mais utilizadas.

4. Cirurgia de unha encravada

Se após a mudança de hábitos e os tratamentos com o podólogo não surtiram efeito, a cirurgia de unha encravada é sua última opção, principalmente se tiver inflamação de repetição, neste caso o melhor é procurar ajuda médica.

Os tipos de cirurgias de unha encravada são:

  • Cantoplastia:é a retirada cirúrgica da chamada hiperplasia (carne ao redor da unha), que muitas vezes se dobra sobre o canto e a unha, causando sangramento e inflamação e a reparação do canto ungueal (da unha);
  • Matricectomia:é a diminuição da largura da unha pela raiz (matriz) para adequar a unha ao leito.

Existe uma técnica, minimamente invasiva, que é a Fenolização, que consiste na aplicação de um ácido (fenol 88%) visando a destruição da porção encravada da unha e a sua remodelação.

 

Quanto antes você tratar a unha encravada, seja ela por corte errôneo ou por alterações anatômicas do dedo, melhor serão os resultados e menores as complicações.

 

Cuide de seus pés, eles são seus aliados no dia a dia e merecem atenção. Deixe de sofrer com a unha encravada, procure um podólogo.

Compartilhe

Facebook
LinkedIn
Whatsapp